Carros elétricos: tudo que você precisa saber sobre a tendência

carro elétrico

Os carros elétricos deram um salto no Brasil após o Salão do Automóvel de 2018, em São Paulo —  enquanto, antes, havia apenas uma opção da categoria disponível no mercado, hoje, há oito. No entanto, entre os lançamentos de carros novos desse modelo, pode-se afirmar que nenhum deles é acessível para a maioria dos brasileiros.

Contudo, vale ressaltar que o problema não é exclusivamente do país, visto que os veículos movidos a energia são caros no mundo inteiro. Por outro lado, também é verdade que, no Brasil, esse problema é agravado devido à importação e aos impostos. Apesar disso, estamos cada vez mais próximos, ainda que em passos lentos, da popularização desses veículos. O meio ambiente agradece.

Como funciona um carro elétrico?

Esses automóveis são movidos a energia limpa e funcionam mediante corrente elétrica. Para isso, são necessários quatro componentes básicos: bateria, motor de indução, inversor e um processo que recupera a energia.

Por ser recarregável, a bateria armazena energia elétrica para o funcionamento do automóvel. Já o inversor tem como função principal converter a corrente elétrica alternada do carregador em corrente contínua para levá-la até a bateria. Dessa forma, a eletricidade ativa os mecanismos de funcionamento do motor que, consequentemente, faz o automóvel se movimentar.

Por não possuir motor de combustão, o carro elétrico não emite ruídos desagradáveis e tampouco produz poluentes. Além disso, a eletricidade possibilita que a energia do sistema seja melhor aproveitada pelo fato de o mecanismo do motor ter menos atrito. Com isso, o automóvel oferece uma aceleração mais leve, o que facilita a direção.

O processo de recuperação de energia se apresenta como uma vantagem econômica extra. Em um automóvel comum, durante a frenagem, a energia do sistema é perdida em forma de calor. Nos carros elétricos, essa mesma energia volta para a bateria em forma de eletricidade.

O que dizem os especialistas?

Em um futuro próximo, especialistas apostam na preferência dos consumidores por automóveis elétricos no mundo inteiro. Logo, o Brasil também deve fazer parte desse contexto, devido ao cenário positivo de ampliação de adesão à energia solar.

Esse caminho, que se mostra inevitável, está relacionado às vantagens oferecidas pelos automóveis movidos a energia limpa. Entre elas, o custo: analisando por quilômetro rodado, a energia elétrica chega a ser um terço mais em conta que os outros combustíveis. Ademais, reduz consideravelmente o impacto no ambiente por praticamente não haver emissão de gases poluentes.

Carro elétrico é coisa do futuro?

O presente vem mostrando que não. Apesar de as vendas em 2020 terem sido bastante tímidas, já foram maiores que em 2019 e certamente menores que as de 2021. Essa é a expectativa das montadoras, que apostam em um cenário cada vez mais favorável para esse tipo de automóvel.

A Audi, por exemplo, fechou 2020 com o título de maior vendedora de modelos totalmente elétricos no Brasil, sem contar os híbridos, graças ao lançamento do modelo e-tron em duas variantes: Sportback e SUV. De janeiro a outubro, um total de 232 veículos 100% elétricos foram adquiridos, de acordo com levantamento do WM1.

Quais os modelos mais vendidos em 2020?

A seguir, veja a lista dos modelos 100% elétricos mais vendidos no país. Aqui, não consideramos os híbridos ou os modelos movidos por qualquer outro tipo de energia alternativa:

  • Audi e-tron: 79 unidades;
  • Chevrolet Bolt: 65 unidades;
  • Jaguar I-pace: 49 unidades;
  • Nissan Leaf: 28 unidades;
  • JAC iEV 40: 22 unidades;
  • JAC iEV 20: 21 unidades;
  • Renault Zoe: 19 unidades;
  • JAC iEV 60: 1 unidade;

Picape iEV 330 P: 1 unidade.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe um comentário